Wallis Giunta | Festival de Sintra
Wallis Giunta, Palácio de Queluz
17361
page-template,page-template-full_width,page-template-full_width-php,page,page-id-17361,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-9.1.3,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

A mezzo-soprano irlandesa-canadiana Wallis Giunta foi nomeada em 2018 “Cantora do Ano” no International Opera Awards, e nomeada “Artista Jovem do Ano” pelo The Arts Desk e ainda “Artista inovador na Opera no Reino Unido” no What’s On Stage Opera Awards pelo seu trabalho em 2017.

Traz a Sintra um recital dedicado às fases do Amor, que tal como as fases da Lua, percorrem ambos um ciclo de transformação misterioso.

A mezzo-soprano irlandesa-canadiana Wallis Giunta foi nomeada em 2018 “ Cantora do Ano” no International Opera Awards, e nomeada “Artista Jovem do Ano” pelo The Arts Desk e ainda “Artista inovador na Opera no Reino Unido” no What’s On Stage Opera Awards pelo seu trabalho em 2017.

Traz a Sintra um recital dedicado às fases do Amor, que tal como as fases da Lua, percorrem ambos um ciclo de transformação misterioso.

Wallis Giunta | meio-soprano

Paulo Almeida, piano

Love Phases
Lust/Desire – Blossoming love – Deep love – Twilight of love


Canções de:
Montsalvatge, Bernstein, Ravel, Duparc, Hahn, De Falla, Niles, Berlioz, Fauré, Obradors, Copland,  Britten e Rufus Wainwright

Wallis Giunta

A mezzo-soprano irlandesa-canadiana Wallis Giunta foi nomeada em 2018 “Jovem Cantora do Ano” no International Opera Awards, e nomeada “Artista Jovem do Ano” pelo The Arts Desk e ainda “Artista inovador na Opera no Reino Unido” no What’s On Stage Opera Awards pelo seu trabalho em 2017. A OPERA NEWS considerou-a uma “mezzo-soprano de tons deliciosos, com um belo senso de linha e sem esforço nas corridas rápidas”, com sua performance recente como Sesto de Mozart para a Companhia de Ópera Canadiana, celebrado como “um triunfo … notável na sua combinação de inteligência e beleza”.

A próxima temporada de 2018/19 inclui sua estreia no BBC Proms Festival num programa que celebra Leonard Bernstein, no Grange Festival no The Barbican, em Londres e no Oregon Music Festival como Anna 1 em “The Seven Deadly Sins”, de Weill. Também irá estrear os papéis-título da “Carmen” e na “Der Rosenkavalier”, a Rosina para a Ópera de Leipzig e Idamante para o Opera Atelier de Toronto.

Começou a temporada de 2017/18 com duas estreias para o Opera North, a protagonista em ” L’enfant et les sortiléges” de Ravel e Dinah em “Trouble in Tahiti” de Bernstein, ambos aclamados pela crítica. Retornou à Ópera de Leipzig para os papéis de Angelina, Cherubino, Rossweise e Wellgunde, e estreou Prince Orlofsky em “Die Fledermaus” e Der Gymnasiast numa nova produção de “Lulu” de Berg. Também se apresentou com a Orquestra da Rádio de Munique, no Koerner Hall de Toronto e no Music & Beyond Festival em concerto.

Na temporada 2016/17, estreou-se com a Opera North, interpretando o papel-título na “La Cenerentola” de Rossini, no Teatro Communale di Bolzano como Cherubino, e com a Orquestra da Rádio de Munique, a Orquestra Sinfônica de Tóquio e a Sinfônica Nova Escócia. Ainda com o Opera Atelier, foi a Dido em “Dido e Eneias, de Purcell. Com a Sinfónica de Toronto e a Real Orquestra Sinfónica de Sevilha, cantou novas produções de “The Seven Deadly Sins”, de Weill.

Na temporada 2015/16 fez diversos papéis na Europa, incluindo para o Teatro dell’Opera di Roma (I Was Looking at the Ceiling and Then I Saw the Sky de Adam), a Opera de Frankfurt (Carmen), Opera de Leipzig (La Cenerentola, Le Nozze di Figaro, Faust, O Anel dos Nibelungos), a Sinfónica de Hamburgo (Candide) e a Deutsche Oper am Rhein em concerto. Com a Edmonton Symphony cantou o Messias e teve a sua primeira experiência como professora, com uma série de masterclasses para a Toronto’s Tapestry New Opera.

No início de 2015, ela voltou ao The Metropolitan Opera como Olga em nova produção de “The Merry Widow”, dirigida por Susan Stroman. Outros destaques recentes incluem os retornos à Canadian Opera Company como Dorabella na nova produção de Atom Egoyan do “Cosí fan tutte” (2014), para a Opera Lyra Ottawa como Cherubino no “Le Nozze di Figaro” (2015) e para o Atelier Opera como Bradamante, numa nova produção de “Alcina” (2014), juntamente com a estreia na Madison Opera (2014) e com a Orquestra Sinfónica de Taipé como Annio em “La Clemenza di Tito” (2013). Em 2014, gravou o seu primeiro álbum com a RTÉ National Symphony Orchestra em Dublin (para a NAXOS), com uma nova obra do compositor norte-americano William Perry. Wallis também cantou em 2014 para o 21C Music Festival de Toronto, na ópera de uma mulher de Louis Andriessen, Anaïs Nin, e apresentou-se em recital em Miami, Nova Iorque, Toronto e Ottawa.

Na temporada 2012/13, estreou-se no Metropolitan Opera House no “Rigoletto”, cantou os papéis de Sesto & Annio em “La Clemenza di Tito” com a Canadian Opera Company, e cantou em Paris no Le Théâtre du Châtelet como Tiffany em “I Was Looking at the Ceiling…” de John Adams. Cantou ainda Dorabella na produção da Met + Juilliard de “Cosí Fan Tutte” no Lincoln Center, cantou com a Ópera de Fort Worth, L’Opéra de Montréal, Edmonton, Sinfónicas de Sevilha e Nuremberga, no Stuttgart Festivalorchester e com a Orquestra do National Arts Center.

Wallis é uma recitalista apaixonada e recentemente apresentou-se nos festivais de Aspen, Caramoor, Banff, Luminato, Music & Beyond e Ottawa Chamber Music. Foi distinguida com o Prémio Bernard Diamant 2016 pelo Conselho Canadiano para as Artes, o Prémio de Desenvolvimento de Carreira 2013 Sylva Gelber Music Foundation, e de vários prémios da George London Foundation. Wallis formou-se em 2013 no Programa de Desenvolvimento de Artistas Jovens do Metropolitan Opera Lindemann e recebeu um Diploma de Artista da Juilliard School em Estudos de Ópera. Estudou também na The Glenn Gould School, no Instituto de Música Steans de Ravinia e na International Meistersinger Akademie na Alemanha, e continua seus estudos particulares com Edith Wiens.

Wallis dedica-se aos direitos dos animais, particularmente o resgate e a reabilitação de coelhos domésticos abandonados. É uma mãe adotiva de coelhos ativa, e procura oportunidades para esta causa ao apresentar-se em todo o mundo. É voluntária e apoiante do Rabbit’s Rest Sanctuary & WildRescue em Denton, Texas, que se dedica para chamar a atenção para a responsabilidade social em relação aos animais domesticados.