Quinteto da Orquestra Sinfónica Juvenil | Festival de Sintra
Quinteto da Orquestra Sinfónica Juvenil, Agrupamento de Escolas-Escola Secundária Padre Alberto Neto – Queluz
17321
page-template,page-template-full_width,page-template-full_width-php,page,page-id-17321,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-9.1.3,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

Uma viagem que atravessa vários estilos e épocas, desde a música de um contemporâneo de Beethoven, exímio compositor para quinteto de sopros (Reicha) passando pela tradição da arte francesa espelhando elegância e humor (Ibert) e terminando com o revivalismo folk inglês do início do séc. XX (Holst).

“Com uma orquestra contruímos cidadãos, melhores cidadãos para a comunidade”

Gustavo Dudamel

Uma viagem que atravessa vários estilos e épocas, desde a música de um contemporâneo de Beethoven, exímio compositor para quinteto de sopros (Reicha) passando pela tradição da arte francesa espelhando elegância e humor (Ibert) e terminando com o revivalismo folk inglês do início do séc. XX (Holst).

“Com uma orquestra contruímos cidadãos, melhores cidadãos para a comunidade”

Quinteto dE SOPROS
Da Orquestra Sinfónica Juvenil

CONCERTO DIDÁTICO

Obras de:

Gustav Holst

Jacques Ibert

Anton Reicha

Orquestra Sinfónica Juvenil

Fundada em 1973, a Orquestra Sinfónica Juvenil é, hoje, reconhecida como uma instituição fundamental no nosso panorama músico-pedagógico.

Sendo em Portugal a única orquestra de jovens com atividade permanente, desempenha um papel fulcral na formação de jovens músicos, numa perspetiva de aperfeiçoamento de alto nível e profissionalização.

Nestes 45 anos de existência, a Orquestra Sinfónica Juvenil recebeu e formou muitos dos atuais instrumentistas das nossas orquestras, incentivou e deu a conhecer ao público muitos jovens solistas e levou a sua ação em favor da cultura musical a todo o país, contribuindo para a criação de novos públicos.

Contando nos seus quadros com 80 elementos das diversas escolas de música da área de Lisboa, o seu repertório, em permanente renovação, é ambicioso e vasto: foram já tocadas mais de 800 obras abrangendo os séculos XVIII, XIX e XX.

A Orquestra Sinfónica Juvenil e os seus agrupamentos são convidados para atuar em importantes acontecimentos artísticos.

Em 1990, a convite da UNESCO, participou num estágio de aperfeiçoamento orquestral em Hortos (Grécia). Em 2002, a “Camerata” da Orquestra Sinfónica Juvenil representou Portugal no Festival Internacional de Jovens de Tianjin, China. Em agosto de 2005, efetuou um Estágio em Vigo (Galiza) em colaboração com a orquestra de jovens local.

Em 2007 uma formação da Orquestra Sinfónica Juvenil efetuou uma digressão na Índia com concertos em Goa e Bangalor. Agrupamentos de câmara da Orquestra Sinfónica Juvenil apresentam-se regularmente em Espanha desde 2013.

Em 2016 o Quarteto de Cordas da Orquestra Sinfónica Juvenil efetuou uma digressão na Índia, com concertos em Nova Deli, Bombaim e Goa.

A Orquestra Sinfónica Juvenil encomenda regularmente obras a jovens compositores portugueses, apresentando-as em estreias mundiais.

Mantém acordos de colaboração com orquestras semelhantes de vários países, com as quais estabelece intercâmbio de jovens músicos. Nos períodos de férias de verão, realiza estágios de aperfeiçoamento orquestral, com uma presença regular nas Regiões Autónomas da Madeira e Açores.

A Orquestra Sinfónica Juvenil colabora regularmente com diversos coros na apresentação de repertório coral-sinfónico.

Para além dos Maestros-Titulares (Alberto Nunes de 1973–83) e Christopher Bochmann (desde 1984) foi dirigida por Francisco d’Orey, Jorge Matta, António Saiote, Roberto Perez, Georges Adjinikos, José Palau, Andrew Swinerton, Vasco Azevedo, Julius Michalsky, Pedro Amaral e Filipe Carvalheiro.

A Orquestra Sinfónica Juvenil desenvolve as suas atividades com o apoio do Ministério da Cultura, Instituto Português do Desporto e Juventude, RTP, Câmara Municipal de Lisboa e com o apoio mecenático da Fundação EDP, instituição com a qual tem desenvolvido um fecundo programa de bolsas.