ORQUESTRA ACADÉMICA FILARMÓNICA PORTUGUESA

KRISTINA MILLER | PIANO

OSVALDO FERREIRA
 | MAESTRO

ORQUESTRA ACADÉMICA FILARMÓNICA

Image

7 DE SETEMBRO 2019 – 18H00

SOCIEDADE FILARMÓNICA UNIÃO ASSAFORENSE

A Orquestra Académica Filarmónica, dirigida pelo seu fundador, maestro Osvaldo Ferreira, estreia-se no Festival de Sintra com a pianista russa Kristina Miller, num concerto de descentralização em São João das Lampas, apresentando um programa de grande comunicação popular - o concerto para piano de Chopin, o compositor que incorporou no piano romântico as tradições da sua Polónia natal -  e o Pássaro de Fogo de Stravinsky, baseado em contos populares russos.

O concerto inicia-se com uma nova obra da compositora portuguesa Anne Vitorino D’Almeida.

KRISTINA MILLER | PIANO

OSVALDO FERREIRA | MAESTRO

ORQUESTRA ACADÉMICA FILARMÓNICA PORTUGUESA

PROGRAMA

ANNE VICTORINO D’ALMEIDA (1978-) –” O Despertar de Élpis”

FRYDERYK CHOPIN (1810-1849) – Concerto para piano n°1 em mi menor, Op. 11

 I. Allegro maestoso
II. Romance (Larghetto)
III. Rondo (Vivace)

IGOR STRAVINSKY (1882-1971) – Suite “O Pássaro de Fogo”

KRISTINA MILLER

Pianista de origem russa-germânica, nasceu em Moscovo em 1986 no seio de uma família musical. O seu extraordinário talento deu-lhe a oportunidade de se estrear, com orquestra, com a tenra idade de 8 anos, tocando o Concerto de Mozart nº 23.

Seis anos mais tarde foi convidada pelo Prof. A.E. Rubina para estudar numa escola de música para crianças talentosas em S. Petersburgo (Rússia). Tendo já sido galardoada com o 1º Prémio do Concurso Internacional de Piano de Berlim (1999) e com o 2º Prémio do Concurso Internacional de Piano de S. Petersburgo (2000), o Ministro russo da Cultura assinalou os seus feitos excecionais enquanto pianista ao atribuir-lhe um Prémio de Desenvolvimento Artístico. Desde os 12 anos de idade tem vindo a apresentar-se pela Europa, EUA, Austrália e América do Sul e tem vindo a ser convidada, todos os anos, para atuar, enquanto solista, com orquestras tais como Recreation Grosses Orchester Graz, Berliner Camerata, Capella State Symphony Orchestra St. Petersburg, Rostow Philharmonic Orchestra, Orquestra Sinfônica da USP, Uljanowsk Symphony Orchestra, entre outras. Kristina Miller tem trabalhado com maestros tais como Ravil Martinov, Vladislav Chernushenko, Sergey Ferulev, Roberto Tibiricá, Helder Trefzger, Osvaldo Ferreira, Claudio Cohen, Dmitry Russu, Andreas Stoehr e Marcelo Ramos, entre outros.

Depois de ter completado, em 2004, os seus estudos na escola de música especial, Kristina passou a ser aluna do Conservatório Estadual de S. Petersburgo. Neste período teve a oportunidade de atuar em salas tais como Philharmonic Hall, Capella Hall e o grande A. Glasunov Hall of Conservatory em S. Petersburgo.

Em 2006 venceu o Prémio Steinway da Casa Steinway de Munique e entrou na Universidade de Música de Munique para continuar os seus estudos com o conhecido pianista e pedagogo Gerhard Oppitz.

Na vertente de música de câmara tem colaborado com artistas tais como Daniel Müller-Schott, David Aaron Carpenter, Jan Volger, Pierre Amoyal, Danjulo Ishizaka, entre outros.

Para além das várias gravações que realizou para a Rádio da Baviera, o seu primeiro CD foi lançado em 2008 pela etiqueta Naxos, em conjunto com Nicolas Koeckert. Este álbum recebeu as mais favoráveis críticas e tem vindo a ser repetidamente tocado na Rádio da Baviera e nas estações de rádio da BBC.

Em 2012 terminou os seus estudos na Universidade de Música de Munique com o Prof. Gerhard Oppitz, onde também recebeu o seu Master of Music com Distinção.

Em 2015 recebeu o seu segundo grau de Mestre no Conservatório de Viena com o Prof. Dr. Johannes Kropfitsch.

ORQUESTRA ACADÉMICA FILARMÓNICA PORTUGUESA

A Orquestra Académica Filarmónica Portuguesa (OaFP) é uma das principais dimensões da Orquestra Filarmónica Portuguesa (OFP), fundada em maio de 2016 por Osvaldo Ferreira e Augusto Trindade.

Esta orquestra jovem nasceu de um marcado sentido de missão, omnipresente na génese da OFP, e que ditou a necessidade imperiosa de facultar aos mais talentosos jovens instrumentistas nacionais a oportunidade para poderem, de forma livre, aberta e genuína, desenvolver amplamente o seu talento e as suas competências em ambiente orquestral.

Todos os anos, em dezembro, são realizadas audições nacionais, abertas a todos os estudantes com idades entre os 16 e os 23 anos, apurando-se, por esta via, 65 instrumentistas que participam em duas residências artísticas.

Sob a direção artística do maestro Osvaldo Ferreira, essas residências artísticas contemplam um plano de ação intensivo que inclui a presença de um naipe rico e diversificado de convidados, tais como maestros, solistas e professores portugueses e estrangeiros, com uma exposição dos participantes aos repertórios dos mais conceituados compositores e à participação em masterclasses.

Terminadas as residências, que decorrem habitualmente durante as férias da Páscoa e do Verão, a OaFP realiza uma digressão para divulgação nacional e internacional do trabalho realizado.

A OaFP está atualmente sediada na Guarda, como assunção do superior interesse estratégico em alargar ao interior do nosso país o acesso a uma oferta cultural e programação artística diversificadas e do mais alto nível, abrindo espaço à criação de novos públicos para a grande música. Sempre que possível, a OFP convida alguns dos seus mais talentosos academistas para participarem em programas específicos, facultando-lhe a oportunidade única para fazerem parte de uma orquestra sinfónica que é já amplamente reconhecida, pelo público e pela crítica, como uma das melhores orquestras sinfónicas nacionais.

Toda a atividade da Orquestra assenta em valores sólidos e princípios humanos que se refletiram na criação de uma marca que pretende valorizar o elemento humano, baseada na autenticidade das relações artísticas com todas as partes interessadas.