Jovem Orquestra Portuguesa e Maestro Pedro Carneiro | Festival de Sintra
Jovem Orquestra Portuguesa, Festival de Sintra, Sintra, Maestro Pedro Carneiro
17294
page-template,page-template-full_width,page-template-full_width-php,page,page-id-17294,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-9.1.3,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

«E, nas serras da Lua conhecidas
Sojuga a fria Sintra o duro braço;
Sintra, onde as Naiades, escondidas
Nas fontes vão fugindo ao doce laço
Onde Amor as enreda brandamente,
Nas águas acendendo fogo ardente.»

Luis Vaz de Camões, Os Lusíadas – Canto III

Enquanto jovem, Camões ganhou o mundo, levando uma vida aventurosa e boémia conquistando corações e perdendo-se de amores. Sobre o fogo e água será também a música de G. Handel interpretada pela Jovem Orquestra Portuguesa dirigida pelo não menos jovem maestro Pedro Carneiro. Juventude, água e fogo, tributo musical aos reis portugueses que fizeram do Palácio da Vila o seu refúgio.

«E, nas serras da Lua conhecidas
Sojuga a fria Sintra o duro braço;
Sintra, onde as Naiades, escondidas
Nas fontes vão fugindo ao doce laço
Onde Amor as enreda brandamente,
Nas águas acendendo fogo ardente.»

Luis Vaz de Camões, Os Lusíadas Canto III

Enquanto jovem, Camões ganhou o mundo, levando uma vida aventurosa e boémia conquistando corações e perdendo-se de amores. Sobre o fogo e água será também a música de G. Handel interpretada pela Jovem Orquestra Portuguesa dirigida pelo não menos jovem maestro Pedro Carneiro. Juventude, água e fogo, tributo musical aos reis portugueses que fizeram do Palácio da Vila o seu refúgio.

Jovem Orquestra Portuguesa e Maestro Pedro Carneiro

“Oferenda Musical para o Paço Real de Sintra”

 G. F. Haendel

  • Music for the Royal Fireworks
  • Water Music

JOVEM ORQUESTRA PORTUGUESA

A Jovem Orquestra Portuguesa é uma iniciativa da Orquestra de Câmara Portuguesa (OCP), lançada em 2010 pelo seu diretor artístico, o maestro e solista Pedro Carneiro, em conjunto com a equipa da OCP e o apoio da Linklaters.

É dedicada aos jovens músicos de todo o país entre os 14 e os 24 anos, selecionados pela sua excelência, talento e potencial. Estes jovens são formados pelo diretor artístico, músicos da OCP e ensaiadores convidados.

A Jovem Orquestra Portuguesa ingressou na Federação Europeia de Jovens Orquestras Nacionais em 2013, na Assembleia Geral realizada em Bucareste, e em 2015 acolheu esta reunião em Lisboa, realizada na Biblioteca Nacional com o apoio institucional da DGArtes.

Desde então, realizaram-se inúmeros intercâmbios entre os membros da Jovem Orquestra Portuguesa e das orquestras congéneres, de Áustria, Espanha, França, Itália, Irlanda, Roménia e Finlândia, ao abrigo do programa MusXchange – financiado pela União Europeia.

A Jovem Orquestra Portuguesa é presença assídua nos Dias da Música em Belém, e internacionalizou-se em 2014 no Festival de Kassel, apresentando a estreia internacional de Greetings, do compositor João Madureira, a par da Sinfonia n.º 4 de Schumann e da Sinfonia n.º 6 de Tchaikovsky.

No ano seguinte, a Jovem Orquestra Portuguesa regressou a Kassel, mas esteve também  em Berlim, onde se estreou no mais importante festival mundial de jovens orquestras, o Festival Young Euro Classic, na mítica Konzerthaus. Além da Sagração da Primavera de Stravinsky e da Sinfonia Concertante de Mozart, com os solistas Pedro Lopes (violino) e Ricardo Gaspar (viola), a Jovem Orquestra Portuguesa encomendou para estreia mundial uma criação do jovem compositor português Pedro Lima Soares: Once Again – Eternal Goodbyes.

Em 2016, viajou até à Roménia, apresentando-se no Ateneu Romeno de Bucareste, no Festival „Vara magica”; e no Casino de Sinaia, no Festival „Enescu and the music world”. A receção foi extraordinária, tanto da crítica como do público, como já sucedera nos anos anteriores em Kassel e em Berlim.

Depois de em 2015 a Jovem Orquestra Portuguesa se ter estreado no Festival Young Euro Classic, voltou em 2017, proporcionando nova estreia mundial, desta vez da jovem  compositora Mariana Vieira, que saiu vencedora do prémio de composição do festival, com “Raiz” Concerto para Oboé, Clarinete, Tuba, Harpa, Contrabaixo, Marimba e Orquestra.

O concerto da Jovem Orquestra Portuguesa foi gravado para posterior transmissão, pela Deutschlandfunk Kultur, assim como pela Antena 2, nos passados dias 20 e 22 de junho.

O Festival Young Euro Classic, é um dos mais prestigiantes festivais de jovens orquestras do mundo, onde a Jovem Orquestra Portuguesa vai regressar, assim como, aos festivais„Vara magica” e „Enescu and the music world”, em julho de 2019.

Maestro Pedro Carneiro

Considerado pela crítica internacional um dos mais importantes percussionistas e dos mais originais músicos da atualidade, Pedro Carneiro toca, dirige, compõe e leciona.

Apresenta-se regularmente como solista convidado de algumas das mais prestigiadas orquestras internacionais: Los Angeles Philharmonic, BBC National Orchestra of Wales, Vienna Chamber Orchestra, – sob a direção de maestros como Gustavo Dudamel, Oliver Knussen, John Neschling e Christian Lindberg.

É cofundador, diretor artístico e maestro titular da Orquestra de Câmara Portuguesa, que dirigiu no City of London Festival; e da Jovem Orquestra Portuguesa que dirigiu em diversas digressões europeias, destacando-se o Festival Young Euro Classic (2015 e 2017), em Berlim.

Foi bolseiro da Fundação Gulbenkian na Guildhall School (Londres), em percussão e direção de orquestra, e seguiu os cursos de direção de Emilio Pomàrico, na Accademia Internazionale della Musica de Milão.

Recebeu vários prémios, destacando-se o Prémio Gulbenkian Arte 2011, e a nomeação para o Prémio Autores 2016, da Sociedade Portuguesa de Autores, para o “Melhor Trabalho de Música Erudita”, pelo concerto na Konzerthaus em Berlim com a Jovem Orquestra Portuguesa.