Wim Mertens | Festival de Sintra
Olga Prats, Festival de Sintra, Sintra, Palácio Nacional de Queluz, artistas, música clássica, concerto, piano, pianista, fado, tango, Fados e Tangos
16969
page-template,page-template-full_width,page-template-full_width-php,page,page-id-16969,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-9.1.3,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

06 de maio de 2017- 21h30

WIM WERTENS

CENTRO CULTURAL OLGA CADAVAL

 

WIM MERTENS

Wim Mertens, referência incontornável da Modern Classical, traz-nos a Sintra um programa baseado na parte final do tríptico “Cran aux Oeufs” e que intitulou “Dust of Truths”.
A primeira parte do tríptico,”Charaktersketch”, situa-se na Europa Central, sendo questionado o papel da cultura num contexto da globalização.
Na segunda parte,”What are we, locks, to do”, Mertens inspira-se na Biblioteca de Alexandria e a sua música é um comentário à idade de ouro do Egipto ptolemaico.
Em “Dust of Truths”, Wim Mertens refere-se à Batalha Naval de Accio, que marca o fim da República e o inicio do Império Romano com toda a carga de simbolismo que inevitavelmente acarreta.
Mertens, compositor, contratenor vocalista, pianista, guitarrista e musicólogo apresenta assim um espetáculo novo, que tem merecido o aplauso unânime das mais importantes plateias mundiais.

Ver & Ouvir

WIM MERTENS

O compositor e artista internacional belga, Wim Mertens (n.1953), com inúmeras gravações e atuações ao vivo, tem dado vários concertos como solista e com o seu grupo por toda a Europa, na América do Norte e Central, Japão, Tailândia e Rússia. Wim Mertens estudou no Conservatório de Bruxelas, tendo-se licenciado em Ciência Sociais e Políticas na Universidade Católica de Leuven e em Musicologia na Universidade de Ghent. Toca piano e guitarra clássica e canta num tom de voz agudo muito característico, usando uma linguagem pessoal cuidadosamente elaborada. Desde 1980, Wim Mertens tem composto muitas peças de diferentes formatos, desde canções ou Lieder curtos e acessíveis a ciclos magnânimos e complexos de três e quatro partes, e para diferentes formações, desde solos para piano a grupos de música de câmara e orquestra sinfónica. Escreve frequentemente para instrumentações fora do vulgar: doze piccolos, dez trombones-baixo, treze clarinetes. Desde a sua primeira gravação em 1980, uma composição eletrónica para máquinas de jogos intitulada For amusement only , Wim Mertens lançou mais de 60 álbuns.