Théodore Paraskivesco | Festival de Sintra
Théodore Paraskivesco, Festival de Sintra, Sintra, Palácio Nacional de Sintra, artistas, música clássica, concerto, piano, pianista, Bach, Bartók, De Bach a Bartók
16461
page-template,page-template-full_width,page-template-full_width-php,page,page-id-16461,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-9.1.3,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

22 de maio - 21h30
PALÁCIO NACIONAL DE SINTRA

DE BACH A BARTÓK

THÉODORE
PARASKIVESCO

THÉODORE PARASKIVESCO

DE BACH A BARTÓK

Natural da Roménia, Théodore Paraskivesco estudou no Conservatório de Bucareste, com a Professora Florica Musicescu, que conta entre os seus alunos mais distintos os nomes de Dinu Lipatti e Radu Lupu. No entanto foi o Professor Emil Guillels que se interessou pelo jovem pianista e ajudou-o a descobrir o seu caminho musical. Professor emérito do Conservatório Nacional Superior de Musica de Paris, leva-nos aqui numa viagem musical, de Bach a Bartók.

Ver & Ouvir

THÉODORE PARASKIVESCO

Piano

Natural da Roménia, Théodore Paraskivesco estudou no Conservatório de Bucareste, com a Professora Florica Musicescu, que conta entre os seus alunos mais distintos os nomes de Dinu Lipatti e Radu Lupu. No entanto foi o Professor Emil Guillels que se interessou pelo jovem pianista e ajudou-o a descobrir o seu caminho musical.

Em 1961, com 21 anos, Théodore Paraskivesco foi premiado no Concurso Internacional Georges Enescu, tendo então recebido uma bolsa do Governo francês que lhe permitiu prosseguir os seus estudos em Paris com Nadia Boulanger e Yvonne Lefébure. A aprendizagem com estes dois pedagogos foi uma forte influência na formação artística de Théodore Paraskivesco.

Além do Prémio recebido no Concurso Internacional George Enesco, em 1971 recebeu o Prix Debussy e, em 1981, foi galardoado pela revista de música «Harmonie» com a menção “Diamante” pela sua gravação dos Études de Debussy.

A carreira de Théodore Parskivesco desenvolveu-se rapidamente. Deu inúmeros recitais em França, nos Países Baixos, Suíça, Portugal, Espanha, México, América do Sul e China. É convidado todos os anos para o Japão onde dá master classes e recitais, tendo tocado em prestigiadas salas de concerto em Tóquio, Quioto, Osaka, Hiroxima e Hamamatsu.

Théodore Parskivesco tende particularmente para a música de câmara. Com o violinista Raphael Oleg, apresentou as Sonatas completas de Beethoven no Festival Internacional de Macau e, como duo, tocaram em recitais na Suíça, Alemanha e em Paris. Gravaram ainda as quatro Sonatas para Piano e Violino de Schubert.

Théodore Paraskivesco tem ainda tocado em trio com o violinista francês Roland Daugareil, Concertino da Orchestre de Paris, e o consagrado violoncelista francês Michel Strauss, aluno de Maurice Gendron e de Paul Tortelier.

Reconhecido como um extraordinário acompanhador de Lied, Théodore Paraskivesco tem tocado com os nomes mais sonantes do teatro lírico, como Ileana Contrubas (soprano), Peter Schreier (tenor), Ioenel Pantea (barítono) , no Teatro Real de Madrid, no Théâtre Châtelet em Paris, no Teatro de São Carlos, em Lisboa e no Festival Internacional de Macau.

Em 1987, Théodore Paraskivesco foi nomeado Professor de Piano no Conservatório de Paris. (Conservatoire National Supérieur de Musique et de Danse de Paris).