Rüya Taner e Dinçer Özer | Festival de Sintra
Ruya Taner, Dinçer Ozer, Festival de Sintra, Sintra, Palácio Nacional de Sintra, artistas, música clássica, concerto, percussão, Cores Percussivas
16447
page-template,page-template-full_width,page-template-full_width-php,page,page-id-16447,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-9.1.3,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

15 de maio - 21h30
PALÁCIO NACIONAL DE SINTRA

CORES PERCUSSIVAS

RÜYA TANER E
DINÇER ÖZER

RÜYA TANER E
DINÇER ÖZER

CORES PERCUSSIVAS

Rüya Taner é reconhecida como uma das principais concertistas da nova geração da Turquia. Além da sua carreira a solo tem-se dedicado à música de Câmara, associando-se aqui a Dinçer Özer, o principal percussionista da Orquestra Sinfónica Presidencial.
O piano e a percussão. As cores percussivas vindas da Turquia.

Ver & Ouvir

RÜYA TANER

Piano

Rüya Taner, reconhecida como uma das principais concertistas da nova geração da Turquia, além de ser “Artista Steinway”, é natural da República Turca de Chipre do Norte. Iniciou a sua formação musical com o pai, seguindo-se estudos no Conservatório Nacional de Ankara com Mithat Fenmen e Tulga Cetiz. Aos onze anos, o Decreto sobre Crianças Sobre Dotadas permitiu-lhe receber uma bolsa de estudos estatal para Londres, onde estudou com Joan Havill no Guildhall School of Music and Drama, obtendo o diploma AGSM (Associate of the Guildhall School of Music) e o raramente atribuído Concert Recital Diploma, e no Royal College of Music, onde obteve o diploma ARCM (Associate of the Royal College of Music).

Enquanto estudante, participou em muitas master classes, com, entre outros, Pascal Devoyon (Londres) e Pascal Rogé (Nice), com quem viria a tocar no Bellapais Festival no Chipre do Norte. Recebeu vários prestigiados prémios, entre os quais “Mozart Memorial Prize”, “Surrey Young Pianist of the Year Award ” e o prémio da categoria “Professional Recital” dos Festivais de Oxford e de Hatfield, onde a sua interpretação da música de Franz Liszt foi muito aclamada pela crítica.

Desde a sua estreia na Wigmore Hall, mais uma vez muito aplaudida pela crítica, tem-se apresentado na St John’s Smith Square, Londres, Fairfield Hall, Croydon, e outras salas importantes do Reino Unido. Tem feito digressões em mais de setenta países da Europa, Ásia e região do Golfo, além dos EUA, tocando em recitais a solo, música de câmara e concertos.

Rüya Taner tem atuado com as principais orquestras púbicas e privadas da Turquia em Âncara, Istambul, Izmir, Antalya, Bursa, Adana, Mersin, e com a Banda das Forças Armadas Turcas. Tem tocado também com a Orquestra Filarmónica de Sófia e a Orquestra Filarmónica de Plovdiv (Bulgária), Orquestra Sinfónica Nacional da Moldávia, Orquestra Sinfónica MAV (Hungria) assim como com orquestras filarmónicas na Bélgica, Ucrânia, Sarajevo, Macedónia, Grécia, Bielorússia, Paquistão, Azerbeijão, Uzbequistão, Turquemenistão, e Quirguistão, e com a Real Orquestra Sinfónica de Omã. Os seus espetáculos têm sido transmitidos pela rádio e televisão nacionais da Turquia e da República Turca de Chipre do Norte, e de Itália, Eslováquia, Bósnia-Herzegóvina, Macedónia e Azerbeijão.

Além de prosseguir a sua carreira a solo, Rüya Taner tem dedicado mais tempo à música de Câmara, tocando com solistas da nova geração. Também participou em dois rectais de piano com músicos da ADAP (Associação de Artistas Unidos pela Paz) da qual é membro.

Os seus CDs, “Highlights from Wigmore Hall”, gravado ao vivo em Londres, e “Sweet Waters of Europe”, gravado no Rudolfinum em Praga, mereceram grandes elogios da imprensa e de melómanos em todo o mundo.

DINÇER ÖZER

Percussão

Dincer Özer iniciou a sua formação musical com o seu pai Erdem Özer, e seguidamente foi aceite pelo Conservatório Nacional de Ankara, Túrquia, onde prosseguiu os seus estudos com Muzaffer Erberik e Hasim Yedican.

Como aluno, ainda antes de receber o seu diploma, deu muitos espetáculos com grupos de percussão de que mais tarde viria a ser membro permanente.

Após a sua formatura pelo Departamento de Percussão integrou a Orquestra Sinfónica Presidencial como membro do naipe de percussão.

Özer recebeu o Primeiro Prémio da Mediterranean Youth Orchestra (França) com quem atuou como líder do naipe de percussão; participou em muitas master classes internacionais, entre as quais as do reconhecido percussionista Sylvic Gualdo (França), do músico de Jazz S. Saunders Smith (EUA), de música sinfónica com Dennis Kain e de música rock com Ken Anoff . Foi muito aclamado pela imprensa americana.
Recebeu um prémio que lhe concedeu uma bolsa de estudos do Governo Suíço para estudar percussão Baget com Yves Bruestaux, percussão Mallet com William Blanc e percussão Latina com John Mayer em Genebra.

Além dos seus compromissos musicais na Orquestra Sinfónica Presidencial em Ankara, Özer continua a dar espetáculos a solo, que incluem obras como o Concerto para Dois Pianos e Percussão de Béla Bartók. Atuou ainda com a, Swiss Roman Orchestra, International Geneva Percussion Group e participou em gravações de CD e para TV na Turquia e no estrangeiro.

Apesar de múltiplas digressões por todo o mundo com a Orquestra Presidencial, Özer continua a dedicar o seu tempo a novos projetos, adaptando melodias e ritmos da Turquia a teclados de percussão, tocando em duo com o seu irmão Soner Özer, também percussionista, e para companhias de dança moderna e de dança folclórica.

Presentemente lecciona na Universidade de Gazi e na High School of Fine Arts onde partilha os seus conhecimentos musicais e promove jovens talentos organizando um Festival de percussão que celebra este ano o seu 7º aniversário.