Galiano trio | Festival de Sintra
Olga Prats, Festival de Sintra, Sintra, Palácio Nacional de Queluz, artistas, música clássica, concerto, piano, pianista, fado, tango, Fados e Tangos
17012
page-template,page-template-full_width,page-template-full_width-php,page,page-id-17012,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-9.1.3,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

26 de maio de 2017- 21h30

GALLIANO TRIO

PALÁCIO NACIONAL DE QUELUZ

Galliano trio

O virtuoso acordeonista Richard Galliano está de regresso a Portugal, desta vez acompanhado por um extraordinário trio de músicos de jazz.
Galliano começou a tocar acordeão com 6 anos. Filho de um prodígio, ele mesmo apontado como um dos maiores no seu instrumento, aconselhado pelo grande Astor Piazzola a desenvolver uma nova linguagem para a “musett” assim como o mestre argentino logrou alcançar para o tango. Tocou com os maiores: de Chet Baker a Charles Aznavour, editou mega-sucessos com a Deutsche Grammophon – é aliás o único acordeonista nesse exigente catálogo – e ganhou mais prémios do que é possível mencionar aqui. Um mestre absoluto.

Ver & Ouvir

Richard Galliano

Após estudar piano e acordeão desde os quatro anos com o seu pai, Galliano frequentou o Conservatório de Nice onde estudou harmonia, contraponto e trombone. Em 1973, mudou-se para Paris, onde conheceu Claude Nougaro, com quem trabalhou como acordeonista e maestro até 1983.
Em 1980, segundo encontro significativo com: Astor Piazolla, que lhe sugeriu criar a NOVA MUSETTE francesa, à imagem do seu NOVO TANGO argentino.
Tem gravados mais de 50 álbuns e colaborou com diversos artistas.

Bertrand Cervera

Estudou no Conservatório de Nice e no Conservatório de Paris, onde obteve o primeiro prémio de violino e de música de câmara. Tocou com o Quarteto Amadeus e com a Orquestra da Ópera de Paris. Integrou a Orquestra Nacional de França onde foi nomeado violino solista.

Jean-Paul Minali-Bella

Recebeu o primeiro prémio de viola do Conservatório de Paris aos 18 anos. Estudou na Universidade de Yale, onde conheceu Walter Trampler e descobriu a viola d’amore. Obteve o diploma como professor de viola e ficou como viola principal da Orquestra Nacional de França, lugar que deixou para integrar o quarteto “Arpeggione”.

Sylvain Le Provost

Recebeu a medalha de ouro no Conservatório de Versailles e ingressou no Conservatório de Paris, para estudar contrabaixo, onde, três anos depois recebeu, por unanimidade, o 1º prémio. Em 2000 integra a Orquestra da Bretanha como co-solista de contrabaixo e, desde 2006, é professor de contrabaixo no Conservatório de Versailles.